Share |

Artigos

Julho 18, 2019 11:34 PM

Síntese da atividade parlamentar de João Vasconcelos como deputado pelo Algarve.

BALANÇO DA ATIVIDADE DO DEPUTADO DO BLOCO PELO ALGARVE – LEGISLATURA 2015-19

Observação:as diversas atividades, iniciativas, intervenções e reuniões em que o deputado participou não são todas mencionadas – só as que direta, ou indiretamente, participou e têm a ver com o Algarve. Houve muitas outras intervenções e iniciativas em diferentes Comissões Parlamentares e no Plenário, com destaque para o setor da Defesa, onde exerce as funções de Vice-Presidente da Comissão Parlamentar da Defesa Nacional. Não são mencionadas as intervenções no plenário e nas Comissões parlamentares, exceto algumas mais específicas.

Julho 17, 2019 12:47 PM

Os deputados João Vasconcelos e Moisés Ferreira, do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, voltaram a questionar o governo sobre os graves problemas existentes no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), nomeadamente, nas maternidades de Portimão e de Faro.

Os deputados João Vasconcelos e Moisés Ferreira, do Grupo Parlamentar do Bloco de Esquerda, voltaram a questionar o governo sobre os graves problemas existentes no Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), nomeadamente, nas maternidades de Portimão e de Faro.

Conforme veio a público, a maternidade do Hospital de Portimão voltou a encerrar, mais uma vez, entre as 09:00 do passado sábado e a mesma hora de domingo (7 de julho). Segundo as justificações do Centro Hospitalar Universitário do Algarve (CHUA), este encerramento deveu-se ao facto de “não ser possível garantir o apoio de pediatra com competências na área da neonatologia na referida unidade”. 

Julho 17, 2019 11:05 AM

Pode consultar em anexo a ata da Assembleia Distrital do Bloco de Esquerda do Algarve realizada a 29 de junho de 2019.

Pode consultar em anexo a ata da Assembleia Distrital do Bloco de Esquerda do Algarve realizada a 29 de junho de 2019.

Julho 16, 2019 02:02 PM

Segundo o Edital nº OL/01/2019 da Docapesca, esta empresa prepara-se para concessionar uma parcela de 31.265 m2, localizada no Porto de Pesca de Olhão, por um período de 30 anos, à empresa  “Verbos do Cais, SA” (já “dona” de toda a frente ribeirinha abrangida pelo Porto de Recreio).

Esta é mais uma machadada no sector das pescas, já que os barcos de pesca provavelmente serão obrigados a pagar as mesmas taxas que as embarcações de recreio. 

Para ler o edital da Docapesca visite o seguinte site: http://www.docapesca.pt/pt/editais-e-avisos.html
 

Julho 13, 2019 01:56 PM

Minuta da Assembleia Distrital do BE - Algarve, de 29/6/2019

Julho 12, 2019 11:49 AM

BE FARO QUER APURAMENTO DE RESPONSABILIDADES NO PROCESSO AMBIFARO
   
A Ambifaro, empresa municipal criada em 1999, tem tido desde sempre 
o apoio das sucessivas governações autárquicas do PS e do PSD.
   
Três anos consecutivos de prejuízos (2015 a 2017), obrigaram a uma 
auditoria, tendo a Assembleia Municipal constituído uma Comissão de 
Acompanhamento a essa auditoria, da qual fazem parte todos os partidos 
representados na Assembleia. 
   
O Bloco de Esquerda sempre fez parte do conjunto daqueles que 
questionaram a gestão daquela empresa. As notícias vindas a lume 
acerca da gestão danosa da Ambifaro parecem dar razão às nossas 
apreensões.

BE FARO QUER APURAMENTO DE RESPONSABILIDADES NO PROCESSO AMBIFARO
A Ambifaro, empresa municipal criada em 1999, tem tido desde sempre 
o apoio das sucessivas governações autárquicas do PS e do PSD.

Julho 4, 2019 09:52 PM

Caros tavirenses

Aquando do referendo de 1998, a regionalização foi-nos sempre apresentada como algo prejudicial para o País devido a criar desigualdades regionais. Surgiu a promessa por parte dos adversários da regionalização, que iriam ser feitos mais investimentos nas regiões de forma a ultrapassar as diferenças regionais existentes. Pouco ou nada foi feito! ...

Caros tavirenses

Aquando do referendo de 1998, a regionalização foi-nos sempre apresentada como algo prejudicial para o País devido a criar desigualdades regionais. Surgiu a promessa por parte dos adversários da regionalização, que iriam ser feitos mais investimentos nas regiões de forma a ultrapassar as diferenças regionais existentes. Pouco ou nada foi feito!

Estamos em 2019, no Algarve não há transportes públicos em condições, a ferrovia é um horror, a A22 está portajada com elevados custos para os algarvios e a saúde é uma lamentável tristeza com prejuízos para os utentes. Os politicos do Algarve, nomeadamente os dos PS/PSD/CDS  têm sido subservientes ao poder central, com as consequentes perdas para a região. Acresce a pertinência de grande parte dos impostos do turismo serem pagos em Lisboa e o Algarve ser apenas explorado.

Julho 4, 2019 09:48 PM

Caros tavirenses

Aquando do referendo de 1998, a regionalização foi-nos sempre apresentada como algo prejudicial para o País devido a criar desigualdades regionais. Surgiu a promessa por parte dos adversários da regionalização, que iriam ser feitos mais investimentos nas regiões de forma a ultrapassar as diferenças regionais existentes. Pouco ou nada foi feito!

Estamos em 2019, no Algarve não há transportes públicos em condições, a ferrovia é um horror, a A22 está portajada com elevados custos para os algarvios e a saúde é uma lamentável tristeza com prejuízos para os utentes. Os politicos do Algarve, nomeadamente os dos PS/PSD/CDS  têm sido subservientes ao poder central, com as consequentes perdas para a região. Acresce a pertinência de grande parte dos impostos do turismo serem pagos em Lisboa e o Algarve ser apenas explorado.

Julho 4, 2019 09:33 PM

O BLOCO DE ESQUERDA NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

O BLOCO DE ESQUERDA NA ASSEMBLEIA MUNICIPAL

   

     O deputado municipal Artur Sanina tem sido uma voz ativa nas assembleias municipais.

    Na Assembleia Municipal de 29 de novembro de 2018, o Bloco propôs que o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) fosse regulado através de um valor de receita fixo, de forma a criar uma maior redução da carga fiscal para os munícipes. O BE propôs também que o IRS fosse reduzido para metade (passar de 5% para 2,5%), defendendo que o valor da derrama a pagar pelas grandes empresas no concelho poderia compensar a redução do valor do IRS. Nesta assembleia, o Bloco manifestou novamente a sua preocupação em relação à passividade do executivo camarário face à carência de habitação social ou de renda acessível.