Vídeos

"Em nome da coesão territorial é necessário eliminar as portagens no Algarve e no Interior do país"

Em audição na Comissão Parlamentar de Economia, o deputado do Bloco de Esquerda João Vasconcelos questionou acerca das obras de requalificação da EN 125, das intervenções de beneficiação provisórias realizadas e sobre a suspensão imediata das portagens na Via do Infante/A22.

Resoluções Mesa NacionalResoluções Mesa Nacional

 

Nuno Saraiva fez as ilustrações e a candidata bloquista por Faro apresenta o 5º episódio da série "Bê-á-bá" dos tempos de antena do Bloco de Esquerda para as eleições Legislativas de 2011.

 

Miguel Portas, eurodeputado do Bloco, explica como a crise da Grécia mostra a Portugal que é preciso renegociar a dívida.
Legislativas 2011

 

Num comício em Faro, Francisco Louçã anunciou que a primeira proposta do Bloco no parlamento eleito a 5 de Junho será de combate à precariedade.

Em carta enviada ao líder parlamentar do Bloco de Esquerda em 2008, com cópia para todos os líderes parlamentares, o atual ministro dos Negócios Estrangeiros, Rui Machete, garantiu que nunca tinha sido "sócio ou acionista" da SLN, o que hoje se sabe ser uma flagrante mentira.

Em declaração de imprensa, o coordenador do Bloco de Esquerda, João Semedo exige a demissão de Rui Machete

Video-resumo do abertura oficial da campanha autárquica "Virar o Porto ao Contrário", que encheu o Teatro Municipal Rivoli no dia 17 de Setembro de 2013.

Opinião

Com as eleições de 6 de outubro a esquerda ficou mais fraca no Algarve. O Bloco, ao manter a sua representação parlamentar, surge como o grande referencial das aspirações, reivindicações e lutas dos algarvios, apresenta-se como a principal força de esquerda na região. A nossa principal bússola assenta nos programas nacional e regional, que se complementam. Acabada a geringonça, por vontade do PS e do PCP, o Bloco nada terá a temer, liderando a oposição e mantendo o seu rumo socialista, com coragem e determinação – naturalmente, com todos e sem esquecer as convergências possíveis à esquerda.

Neste aspecto devemos lembrar que o Algarve é uma enorme fonte de receitas para o País, e certamente conseguirá verbas para fazer face às hipotéticas despesas, acrescentando que deve surgir uma dinâmica de solidariedade para com as regiões mais desfavorecidas do todo nacional.

A votação do BE no Algarve é a 2ª mais alta do país (12,9%), logo a seguir a Coimbra (13,01%), o distrito da Marisa e do Pureza. Acho que merecemos uma medalha!