Vídeos

No debate sobre a Regionalização, João Vasconcelos relembrou que “o governo, na legislatura anterior, negociou com o PSD o acordo para a descentralização, esquecendo deliberadamente o processo de Regionalização”.

"Em nome da coesão territorial é necessário eliminar as portagens no Algarve e no Interior do país"

Resoluções Mesa NacionalResoluções Mesa Nacional

CCC Loulé

Convocam-se as/os aderentes, com capacidade eleitoral, do Bloco de Esquerda do concelho de Loulé, para uma Assembleia Eleitoral Concelhia, no próximo dia 7 de setembro, entre as 15h00 e as 19h00, a decorrer na Rua Maria Campina, nº 106 - R/C, Loulé, com o seguinte ponto único na ordem de trabalhos: 

 

Eleição da Comissão Coordenadora Concelhia do BE-Loulé, para o biénio 2019-2021

ELEIÇÃO DA CCC: Sábado, 7 de setembro de 2019

 

Convocatória

 

É de grande importância para o sucesso do Bloco de Esquerda, em particular, em Loulé, a eleição da respetiva Comissão Coordenadora Concelhia.

Sociedade

A mais recente sessão da Assembleia Municipal de Loulé, realizada a 5 de abril, aprovou por larga maioria (registou apenas uma abstenção) a moção apresentada pelo deputado municipal do Bloco de Esquerda Carlos Martins para a elaboração de um Plano de Estratégia Local de Habitação.

A iniciativa política aprovada recomenda ao executivo municipal liderado por Vitor Aleixo que elabore, com urgência, o Plano de Estratégia Local de Habitação e priorize as soluções habitacionais que pretende ver desenvolvidas no município ao abrigo do 1.º Direito – Programa de Apoio ao Acesso à Habitação, bem como, envidar esforços para a conclusão a curto prazo do processo cadastral no município.

Sociedade

A Assembleia Municipal de Loulé aprova por unanimidade a moção "Pelo Combate à Violência de Género", apresentada pelo Grupo Municipal do Bloco na sessão  Extraordinária da 5 de Abril de 2019.  

assembleia municipal

O Bloco de Esquerda viu aprovada a sua proposta de recomendação para a criação do Provedor Municipal. Esta proposta, levada a debate e deliberação na sessão da Assembleia Municipal de Loulé realizada a de 23 de fevereiro, mereceu uma aprovação por maioria, tendo registado 3 abstenções por parte do Partido Socialista (PS).

autarquicas 2017

O discurso de José Graça, que era o responsável financeiro da CML por delegação do presidente Seruca Emídio, pretende negar uma evidência que está devidamente documentada e criar a ilusão de ter legado contas equilibradas quando recorreu a um programa de financiamento como o PAEL, que se destinava exclusivamente a apoiar as Câmaras Municipais endividadas, assumindo um plano previsional de amortizações que obriga ao pagamento de juros no valor 540 454,38 €. Com a adesão a este programa a CML perdeu completamente a autonomia financeira ficando sujeita a condições inaceitáveis de forte restrição nas atividades municipais que levou a paralisia do município, com graves consequências nos serviços de limpeza, nos apoios sociais e nos serviços de transportes de crianças e idosos e na redução forçada de trabalhadores não pertencentes aos quadros municipais. Seria mais sério se assumisse as suas responsabilidades políticas e reconhecesse que a sua gestão “esteve acima das nossas possibilidades”, como dizia Passos Coelho para justificar o empobrecimento forçado do país e o roubo de salários e pensões.

Trabalho

O Bloco de Esquerda apresentou um projeto de resolução no sentido do Governo tomar as iniciativas necessárias à requalificação da linha férrea do Algarve.

Opinião

Passados 46 anos desde a Revolução de Abril Portugal continua a ser um dos países mais centralistas da OCDE, do ponto de vista político e administrativo, com a consequente hipertrofia burocrática e orçamental.

Há dias, numa sessão do nunca tão elogiado como merece Cineclube de Faro, fui ver o filme “Parasitas” que agora ganhou vários Óscares de Hollywood.

Exponho aqui um comentário motivado apenas por ter lido em apreciações de alguns dos nossos habituais críticos de cinema que se trata de uma “original forma” de apresentar a “luta de classes”.

Com as eleições de 6 de outubro a esquerda ficou mais fraca no Algarve. O Bloco, ao manter a sua representação parlamentar, surge como o grande referencial das aspirações, reivindicações e lutas dos algarvios, apresenta-se como a principal força de esquerda na região. A nossa principal bússola assenta nos programas nacional e regional, que se complementam. Acabada a geringonça, por vontade do PS e do PCP, o Bloco nada terá a temer, liderando a oposição e mantendo o seu rumo socialista, com coragem e determinação – naturalmente, com todos e sem esquecer as convergências possíveis à esquerda.